sábado, 29 de outubro de 2011

Não é belo o mero encontro de carnes
nem tão pouco prazeroso
dois corpos em exercícios vãos
de prazeres escassos
cedendo lugar a um imenso vazio
feito o copo se apresenta
ao embriagado pela manhã.

Belo mesmo é esse encontro
que nunca chega
e essa sede de um nada
que nem mesmo o tudo preenche.

Um comentário:

Larissa Marques disse...

belo é o entendimento disso.